Navegando em "Meio ambiente"
abr 23, 2014
Metagreen

COMO DESCARTAR LIXO ELETRÔNICO

Computadores, televisores de tubo, pilhas, eletrodomésticos, celulares antigos, ou qualquer outro equipamento ou acessório movido a energia elétrica ou bateria, que não é mais usado em casa ou na empresa, pode ser considerado lixo eletrônico e, portanto, precisa ser descartado da forma correta para não provocar danos ao meio ambiente e também à saúde das pessoas.

A produção de lixo eletrônico no mundo todo alcançou quase 49 milhões de toneladas, correspondendo a sete quilos por cada habitante do planeta, em 2012. E esse valor tende a piorar, pois a Universidade das Nações Unidas publicou um estudo calculando que esse número irá aumentar 33% em 2017.

Locais para descarte

Você tem lixo eletrônico e não sabe onde descartar? Para quem é residente na capital paulista, é possível procurar o Centro de Descarte e Reúso de Resíduos de Informática, o CEDIR. O local recebe o lixo apenas de pessoas físicas e é necessário ir até o Centro. Para isso, entre em contato por telefone (11) 3091-6454 ou e-mail consulta@usp.br e agende uma visita.
Empresas como Dell, HP, Positivo, Nokia e Itautec oferecem o serviço de coleta de equipamentos antigos. Esse serviço não tem custo para o consumidor e basta entrar em contato telefônico ou por e-mail para pedir a retirada. É importante ficar atento a detalhes de quantidade, por exemplo, pois algumas empresas só recolhem material de empresa exigindo uma quantidade mínima de unidades, ou então só fazem o trabalho para pessoas físicas.

Não é somente a capital paulista que conta com esse serviço. O número de centro de coleta de resíduos eletrônicos vem crescendo em todo o país e para saber se existe algum perto da sua residência, entre em contato com a prefeitura de sua cidade. As fabricantes de computadores e celulares também realizam o trabalho de coleta em todo o Brasil.

Fonte: Atitudes Sustentáveis

Gostou? Compartilhe:
abr 16, 2014
Metagreen

A SUSTENTABILIDADE NAS ESCOLAS

Quando qualquer tema é abordado na educação escolar, faz-se necessária uma pesquisa para saber como está sendo trabalhado, qual a qualidade e os recursos utilizados para que os alunos o compreendam verdadeiramente.

As escolas de um modo geral trazem em seu currículo o tema ecologia, mas cada uma diferencia na maneira e qualidade de exposição do assunto.

Há escolas que felizmente se tornam modelos a serem seguidos por seus exemplos diários de práticas sustentáveis e levam os alunos (crianças e adolescentes) a participarem ativamente desse processo não só no ambiente escolar como em casa e na sociedade.
Porém infelizmente a maioria das escolas não se preocupa em trabalhar todos os dias com essa área, e nem tão pouco servem de exemplo para seus alunos.

Vemos ainda escolas que se lembram da sustentabilidade uma vez por ano apenas, quando é promovida a Semana Dedicada à Ecologia. Nessa semana os alunos procuram demonstrar tudo que sabem apresentando trabalhos maravilhosos, ouvindo palestras, participando de debates e gincanas.

Encerrada a semana acaba-se tudo que foi divulgado e lá se vão os papéis, chicletes e restos de lanches espalhados pelo chão.
As carteiras lixadas ganham novamente os desenhos e rabiscos, e nada mais faz sentido em relação a tudo que aprenderam e pregaram.

Nem mesmo as escolas dão importância ao fato, pois as luzes continuam acesas sem necessidade, as torneiras voltam a pingar e os fortes produtos de limpeza voltam à ativa, e os alunos continuam agindo como antes tanto na escola quanto fora dela.

Crianças e adolescentes que não respeitam o meio ambiente e se a escola não despertar para seu papel principal de educar todos os dias e não uma vez por ano isso se tornará uma bola de neve e a sociedade continuará a formar mais e mais cidadãos adultos que continuarão a poluir a natureza.

Devem ser parabenizadas as escolas que tem como meta a educação por um todo, dando exemplo, ensinando e cobrando atitudes de respeito a si próprio, à sociedade e ao meio ambiente.

Já para as escolas que não dão tanta importância à ecologia apelamos que acordem, pois sem o equilíbrio ambiental não há haverá vida em nosso planeta.

Fonte: Atitudes Sustentáveis

Gostou? Compartilhe:
abr 11, 2014
Metagreen

A IMPORTÂNCIA DE UMA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL PARA TODOS

A sustentabilidade ambiental é uma expressão que denomina as ações feitas pelos seres humanos, a fim de suprir suas necessidades, sem comprometer a integridade dos recursos naturais para as próximas gerações. Dessa forma, uma pessoa ou instituição sustentável é aquela que toma medidas em prol do combate ao desperdício de água e alimentos, ao desmatamento, às queimadas ou qualquer dano causado ao meio ambiente, preservação da fauna e da flora mundial, entre outros.

As iniciativas voltadas para a sustentabilidade surgiu devido à necessidade de lutar contra ações que ameaçam a natureza e seu ecossistema, bem como garantir a existência de água pura, solos férteis e de plantas e animais de qualquer espécime. Através de hábitos simples, é possível usar os recursos naturais de forma inteligente. Alguns métodos utilizados hoje promovem a exploração controlada de recursos florestais e do replantio das árvores derrubadas, criação de Zonas de Proteção Ambiental etc. O uso de energia limpa e renovável (como eólica, solar, geotérmica e hidráulica) também é importante, já que evita o consumo excessivo de combustíveis fósseis e diminui a emissão de gás carbônico (CO2) na atmosfera, contribuindo para o aquecimento do planeta através do fenômeno conhecido como efeito estufa.

A reciclagem, método cada vez mais buscado por empresas privadas, objetiva a separação do lixo por material de fabricação e reutilizá-los. Dessa forma, reaproveita-se um material específico (como o papel), reduz-se a quantidade de lixos jogados no solo e também da retirada de recursos minerais. Hábitos como o uso de um único copo descartável por indivíduo, por exemplo, evita custos para empresa e evita lixo em excesso.

Atualmente, há grupos que buscam conscientizar a população quanto ao consumo e desperdício da água, além de realizar a proteção dos recursos hídricos e despoluição de lagos, rios, lagoas e mares.

Fonte: Atitudes Sustentáveis

Gostou? Compartilhe:
mar 27, 2014
Metagreen

DICAS DE SUSTENTABILIDADE NO TRABALHO

Não é só em casa que devemos ser sustentáveis. Na rua, não jogar lixo em qualquer lugar, usar transporte público e recolher os dejetos de nossos animais de estimação, entre outras ações, também são hábitos importantes para contribuir com o meio ambiente. Hoje, as crianças já aprendem na escola como não desperdiçar água e como reaproveitar materiais que normalmente seriam descartados, atos que devem ser levados para toda a vida.
No ambiente de trabalho nós também podemos ser sustentáveis tomando diversas atitudes. Veja essas dicas e coloque-as em prática.

Trabalho verde

- Use uma caneca. Para tomar um café ou água, opte por uma caneca de alumínio ou cerâmica, que irá reduzir a quantidade de copinhos plásticos no lixo.

- Na hora do almoço, se for sair do ambiente de trabalho, apague todas as luzes e desligue o monitor do computador.

- Deixe cortinas e janelas abertas. Isso diminui a quantidade de energia utilizada por lâmpadas e ares-condicionados, além de tornar o ambiente mais saudável com a circulação correta do ar.

- Não imprima todo o material que recebe. Sempre leia com atenção os e-mails e pondere se é realmente necessário utilizar a impressora. Caso realmente precise, imprima os dois lados do papel, se possível.

- Utilize papéis antigos para rascunho, isso reduzirá a quantidade de papel produzido, além de economizar na hora de comprar material de anotação para o escritório.

- Converse com o seu chefe se é possível trabalhar um dia da semana em sua casa. Sem a necessidade de locomoção, não há dispersão de gás carbônico do seu veículo, e você ainda economiza combustível. Sempre que puder procure ir para o trabalho utilizando o transporte público.

- Separe o lixo orgânico do lixo seco. Lembre-se de incentivar seus colegas a terem a mesma atitude.

- Evite marcar reuniões presenciais, exceto em casos de extrema necessidade. Se for possível resolver o problema por telefone ou e-mail, não será preciso locomover-se para fora da empresa.

- Cultive plantas e dê preferência para cores claras nas paredes e móveis do escritório. Isso torna o ambiente mais fresco e iluminado.

Fonte: Atitudes Sustentáveis

Gostou? Compartilhe:
mar 20, 2014
Metagreen

SUSTENTABILIDADE – REAPROVEITAMENTO DA ÁGUA

Entre tantos recursos naturais, um é de absoluta importância para nossa sobrevivência, a Água. A raça humana desapareceria, os animais irracionais também, toda a natureza se transformaria em chão seco e empoeirado e o mundo não seria mais um lugar para se viver sem a água para nos nutrir e suprir nossas necessidades diárias.

É duro, mas é a realidade. O que se acreditava ser um recurso natural inesgotável está se esgotando, graças à ignorância e imprudência de uma sociedade consumista e despreocupada que por muitos anos se preocupou apenas em satisfazer seus gostos e suas necessidades abusando dos recursos naturais, e somente de uns anos para cá começou a entender que se não tomarmos cuidado, vamos acabar sem água.

Não dependemos de ninguém para colaborarmos com o meio ambiente, cada um de nós pode fazer a sua parte e evitar esses desastres ecológicos, com consciência e medidas simples que além de ajudar o meio ambiente diminuem nossos gastos financeiros.

Temos como exemplo dessas medidas o reaproveitamento da água. A água da máquina de lavar por exemplo pode ser reaproveitada para lavar o quintal e a água que escorre das loucas limpas pode ser aproveitada para aguar plantas.

Outra forma de reaproveitamento da água é utilizar a água da chuva que pode ser feita com um pouco mais de tecnologia ou seja com o uso de cisternas para comportar a água da chuva e filtros para retirar folhas e outros detritos nela encontrados e um sistema de bombeamento que a leve até a caixa de água, separando-a da água potável, ou de forma mais rústica, utilizando recipientes para comportar a água e limpeza através do processo de decantação, sendo utilizada apenas em funções mais simples que não necessitem de aparelhagem e pressão.

É importante lembrar que a água da chuva não é recomendada para beber ou tomar banho, mas para lavagens de carros, roupas, louças, aguar jardins, utilizar em descargas, etc.

Outras medidas simples de redução do consumo são manter a torneira fechada ao ensaboar a louça, ao escovar os dentes, lavar as mãos rapidamente, não demorar nos banhos, não colocar nos copos água a mais do que deseja beber entre outras pequenas atitudes de economia que podem ajudar muito na preservação da água e colaborar com um modelo de sustentabilidade que deve ser seguido para que tenhamos uma vida melhor.

Gastar menos dinheiro e gastar menos recursos naturais é unir evolução e sustentabilidade, portanto, não perca tempo e ajude nessa batalha a favor do meio ambiente.

Fonte: Atitudes Sustentáveis

Gostou? Compartilhe:
mar 14, 2014
Metagreen

MEIO AMBIENTE: TENHA ATITUDES SUSTENTÁVEIS

Sim, nós podemos mudar o mundo! Água sendo desperdiçada, inúmeras árvores sendo cortadas. Há quem espalhe lixo pelas ruas e avenidas, entupindo bueiros e causando problemas quando chove.

Ter atitude sustentável significa fazer coisas que preservem o meio ambiente, melhorando a vida das pessoas. Ter atitude sustentável significa usar com responsabilidade os recursos naturais que são esgotáveis, como, por exemplo, a água. As pessoas passam horas lavando a calçada da rua e os veículos com a mangueira; até mesmo um banho demorado ou a descarga longa no vaso sanitário influem diretamente na degradação do meio ambiente. Também se deve atentar para o uso indiscriminado da energia elétrica. Ter atitude sustentável significa reciclar seu lixo, e se você não quer reciclar, você pode participar da coleta seletiva, favorecendo os trabalhadores que vivem do lixo.

Gastar menos água, economizar e reciclar papel, economizar energia elétrica e reciclar embalagens são atitudes sustentáveis que devem ser feitas diariamente. Quando vemos o hoje, o estrago e o desperdício, temos que, obrigatoriamente, pensar no futuro. O que você está deixando para as próximas gerações? Reflita!

As escolas também devem ter atitude sustentável. Elas podem realizar atividades para que os alunos cresçam sabendo da importância e da necessidade de amar, preservar e cuidar do meio ambiente. As pessoas vivem de acordo com os valores. Se as crianças desde cedo forem influenciadas sobre a importância de ser cuidar do meio ambiente, com certeza elas serão adultos responsáveis, terão atitude sustentável e passarão o que aprendeu para as seguintes gerações.

Se o meio ambiente for conservado, todos nós teremos uma melhor qualidade de vida.

Atitude sustentável

Se você e sua família mudarem pequenas atitudes, e as terem como hábito, o mundo pode ser bem melhor.

- Economize água e energia elétrica.
- Recicle embalagens.
- Separe o lixo e o deixe na coleta seletiva.
- Plante árvores.
- Recicle o papel e o utilize como rascunho.
- Não queime o lixo.
- Quando for fazer compras, leve a sacola sustentável para o supermercado. Assim você evita de trazer inúmeras sacolas plásticas para casa.

Fonte: Atitudes Sustentáveis

Gostou? Compartilhe:
mar 6, 2014
Metagreen

Sete dicas para tornar seu cachorro sustentável

Um cachorro, por incrível que pareça, pode apresentar risco ao meio ambiente

Mesmo sendo um animal, o cachorro causa impactos ambientais. Por exemplo: o que você faz com o saco de ração do seu bichinho? Você limpa o cocô dele quando vocês passeiam na rua? De que modo? Saiba agora quais são os sete passos para tornar o seu cão mais sustentável:

1. Catar a caca

Ao sair com seu cão, é importante coletar as fezes dele para não sujar as vias públicas e nem ameaçar a saúde de outras pessoas (já que as fezes caninas podem transmitir doenças). Mas isso não basta. Colocá-las dentro de um saco plástico para transferir o cocô para o lixo não é uma medida boa para o meio ambiente, pois o plástico demora muito para se degradar. Há alternativas mais ambientalmente corretas para a questão, como utilizar um kit de papel e papelão (veja aqui).

2. Compostagem

A compostagem de resíduos provenientes dos animais é a dica mais correta, embora seja difícil de implantar. Se você possui disponibilidade e tem os meios corretos para fazer, a compostagem do resíduo do seu cão é uma alternativa ecológica, pois não recorre a aterros e preserva hidrovias. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) possui uma cartilha de como começar a compostagem dos resíduos do seu cachorro (clique aqui e veja).

3. Faça brinquedos para eles

Você já se perguntou por que muitos brinquedos de cachorro são coloridos, sendo que caninos não descriminam cores? A resposta é simples: na verdade, os brinquedos destinados a cachorros são comercializados para seus donos humanos. Os cães não possuem nossa sensibilidade, não se preocupam com moda, não distinguem entre “velho” e “barato” ou “novo” e “caro”. Então, por que não transformar objetos antigos em um novo brinquedo para o seu cão? Veja dicas:

• Roupas velhas: amarre uma camiseta velha em nós.
• Colher de pau: que tal reaproveitar a colher de pau velha para ser o novo graveto do seu cão?
• Filhote feito de costura: use trapos velhos e faça “filhotes” de cachorro.

4. Comida não

O problema de obesidade está afetando não só os humanos, mas também os animais de estimação. Não exagere na quantidade de comida dada ao seu animal e você fará um bem à saúde dele. Caninos domesticados são bons em regular sua própria ingestão de resíduos, mas não acostume eles incorretamente.

5. Venenos

Muitas vezes, o que é bom para o meio ambiente é bom também para a saúde do seu cão. Você pode ter ouvido falar que pesticidas comuns para gramado podem levar seu cão à morte, mas você já pensou a respeito das coleiras anti-pulgas? Pois é, venenos de pulgas convencionais incluem pesticidas que podem adoecer e matar milhares de cães por ano. Os organofosforados geram os principais problemas. Será que é realmente necessário utilizar produtos químicos para exterminar pulgas e carrapatos que infestam o corpo do seu animal? A resposta é não: existem várias alternativas não tóxicas e ecológicas que podem ajudar, como: água e sabão, terra diatomácea e armadilhas elétricas para pulgas.

E cuide sempre muito bem do seu animal de estimação, fazendo a higiene dele com frequência.

6. Alimentação

Muitas refeições para cachorros são feitas a partir de derivados de carne. Imagine o tamanho do impacto que toneladas de ração não causam no planeta, se levarmos em conta o gasto com água, energia, transporte e emissão de CO2 (que é muito grande na criação de gado). Portanto, procure comprar para o seu cão produtos naturais e que não sejam derivados da carne. E sempre recicle a embalagem da ração.

7. Casinha de cachorro

Se você precisa construir um lar para seu animal, construa-o utilizando madeiras que foram descartadas de outras construções. Se você não tiver como fazer isso, compre casinhas produzidas com materiais reciclados ou biodegradáveis.

Fonte: Ecycle

Gostou? Compartilhe:
fev 25, 2014
Metagreen

Uma das soluções pro lixo: Coleta Seletiva

Leila dos Anjos

O que é coleta seletiva? Essa foi a pergunta que eu fiz para algumas pessoas nesse mês, algumas pensavam que era a coleta normal de lixo em um horário específico, outras falaram que era a separação do lixo depois que ele chega no depósito, e ainda outras falaram que é a divisão do lixo em orgânico e não orgânico, mas na realidade qual é a definição de Coleta Seletiva? De acordo com estudiosos, a Coleta Seletiva é um processo de recolhimento de materiais recicláveis, os quais são separados adequadamente na fonte geradora e assim levado a fase inicial da reciclagem. Sendo que os tipos de coleta seletiva são baseados na coleta Domiciliar – a qual assemelha-se ao procedimento convencional da coleta de lixo, sendo que a única diferença é que há dias e horários específicos em que os veículos coletores passam; na coleta em Postos de Entrega Voluntária – a qual é colocado pequenos depósitos em pontos fixos, no qual os cidadãos depositam os materiais recicláveis; na coleta em Postos de troca – a qual se troca os materiais por algum bem; além dos catadores que recolhem esses materiais e vendem, para contribuir na sua fonte de renda. Assim, percebe-se que essas atitudes são responsáveis para a melhoria do meio ambiente e para a vida sustentável da sociedade.

Além disso, na entrevista ficou claro que para a implantação de um sistema de Coleta Seletiva a educação é prioridade, ou seja, o bom funcionamento da Coleta Seletiva deve ser baseado em um processo de educação ambiental, usando como sustentação a conscientização, dessa forma a sensibilização é alcançada através de uma orientação metodológica e técnica.

É importante frisar que a Coleta Seletiva pode oferecer inúmeras vantagens, entre elas a melhora da limpeza da cidade – gerando uma qualidade de vida à população, a geração de empregos para a população não qualificada e a contribuição para diminuir a poluição do solo, da água e do ar.

E para ficar mais por dentro do assunto, segue algumas dicas:

1. Sacola de palha está na moda – As sacolinhas de plástico fornecidas nos supermercados para carregar as compras demoram 450 anos para se decomporem e ocupam de 15% a 20% do volume de um lixão.

2. Garrafa e caneca a postos – Garrafas de material durável devem ser difundido, para diminuir a produção de copos descartáveis. A dica vale para o ambiente de trabalho também: deixe no escritório uma caneca.

3. Menos papel, mais árvores em pé – Prefira ler textos no computador a imprimi-los. Use o verso de folhas de papel e reutilize envelopes, colocando etiquetas adesivas nos endereços. Relembre os tempos da vovó: adote um coador de pano para preparar o café. Cerca de 20 árvores deixarão de ser cortadas para cada tonelada de papel reutilizado.

4. A era do a granel – Em vez de comprar dois pacotes de 300g de queijo, enfrente a fila e peça 600g a granel. Será uma embalagem plástica a menos. Essa tática pode ser aplicada a frios, salsichas, geléias e muitos outros alimentos.

5. Palmas para o refil – Prefira comprar produtos com refil, que utiliza menos matéria-prima. Assim, você colocará menos quantidade de plástico fora após a segunda compra.

6. O bebê quer pano – Fraldas descartáveis podem ser práticas, mas as de pano são mais amigas do ambiente – Até os dois anos, um bebê utiliza cerca de 8 fraldas por dia. No total, cada criança usa, em média, 5.840 fraldas.

7. Adeus à marmita de alumínio – Quem busca almoço ou janta em restaurante e leva para casa nas famosas marmitas de alumínio, deve comprar os modelos antigos, feitos de plástico durável.

8. Recarregando as energias – Pilhas e baterias recarregáveis têm vida útil muito maior do que as pilhas comuns ou alcalinas.

9. Vidro sim, plástico não – Entre uma embalagem de vidro e outra de plástico, opte pela primeira. Potes de requeijão podem virar copos, e potes de pepino em conserva, embalagens para doces.

10. Nada de papel de propagandas – Evite pegar os papéis distribuídos junto aos semáforos. Um dia, quando ninguém mais pegar, essas propagandas deixarão de ser feitas, e menos lixo deixará de ser produzido.

Cada brasileiro joga fora, em média, por ano: 90 latas de bebida; 107 frascos de vidro; 70 latas de alimento; 45 quilos de plástico, volume de papel equivalente a duas árvores e 10 vezes seu peso em materiais orgânicos.

Colete, recicle, invente, faça sempre algo diferente, para que o lixo diminua do nosso meio ambiente.

Fonte: Gosto de ler

Gostou? Compartilhe:
fev 3, 2014
Metagreen

Turma da Mônica ensina reciclagem para crianças

Vídeo de conscientização ecológica mostra para as novas gerações como reutilizar vários tipos de materiais e explica sobre a importância de apoiar a coleta seletiva.

Ao aprender a diferenciar materiais recicláveis como lata, plástico, papel, vidro e elementos orgânicos e a depositá-los nas lixeiras corretas, as crianças cumprirão os termos da Política Nacional de Resíduos Sólidos de maneira mais eficaz, uma vez que terão desenvolvido consciência ambiental. Por isso, a ideia do vídeo infantil é ressaltar o quanto é essencial saber reduzir o consumo de produtos, reciclá-los quando possível e reutilizar diversos tipos de materiais. Assista ao vídeo:

Fonte: Pensamento Verde

Gostou? Compartilhe:
dez 27, 2013
Metagreen

Lavanderia ecológica: um exemplo de sustentabilidade

A preocupação com o meio ambiente e com as gerações futuras vem atingindo diversos setores e áreas diferentes

Com as mudanças mundiais, que afetam a economia, sociedade e o meio ambiente, as empresas foram obrigadas a se adaptar. Nessa corrida por negócios sustentáveis surgiu, então, mais um segmento: a lavanderia ecológica.

O modelo “verde” visa reduzir os impactos gerados pelas ações do negócio, sobretudo no que diz respeito à água. Nesse sentido, algumas lavanderias já adotam medidas para economizar o recurso natural e, também, para diminuir o consumo de energia elétrica, sacolas, embalagens plásticas e produtos de higiene.

Ao adotar os três “R” (reduzir, reutilizar e reciclar) da sustentabilidade, além da consciência ambiental, há também vantagens econômicas e de mercado para o negócio. O uso racional dos insumos leva a corte de gastos, colocando a empresa na frente dos concorrentes devido ao preço menor e melhor.

Algumas lavanderias conhecidas como ecológicas utilizam exaustores eólicos, que usam a força dos ventos para secar as roupas, e triciclos para realizar entrega – consomem menos de um terço do combustível de um carro.

Os exemplos de sustentabilidade nas lavanderias, no entanto, não param por aí. As sacolas plásticas comuns deram espaço às retornáveis, feitas de garrafas PET, os plásticos foram substituídos pelo oxibiodegradável e os sabões e detergentes foram substituídos por produtos biodegradáveis. Já os cabides se tornaram cabides ecológicos e são confeccionados com papelão certificado. Até a logomarca pode ser impressa em gráficas que possuem certificação de Manejo Florestal Consciente.

Para acompanhar essa corrida verde e as mudanças do mundo, a Associação Nacional das Empresas de Lavanderia (Anel) lançou, em 2012, o Selo de Qualidade e Sustentabilidade para o setor. A certificação é adaptada às necessidades do mercado e avalia questões de qualidade, meio ambiente, saúde e segurança.

Lavanderias no mundo

Fora do contexto brasileiro, uma lavanderia nos Estados Unidos se autodenomina orgânica. Isso porque, a empresa usa o dióxido de carbono para lavar roupas, em um sistema que deixa as peças limpas e sem cheiro, e ainda ajuda o meio ambiente. Toda a sujeira das roupas é retida em um filtro, e tratada antes de ser descartada.

O gás encontrado nas garrafas de água ou refrigerante lava as roupas em uma máquina e o processo, que dura apenas 30 minutos, parece ser simples. O equipamento é alimentado com um cilindro de dióxido de carbono; quando o gás é submetido à alta pressão, torna-se líquido, penetra no tecido e realiza a limpeza por completo. A pressão interna diminui, o CO2 volta ao estado gasoso e seca a roupa.

A ideia foi de David Kistner, que ficou preocupado quando soube que os produtos utilizados eram considerados tóxicos. Com a mulher grávida na época, o empresário decidiu mudar o sistema para que a família não fosse exposta a riscos.

Junto com o sócio, ele investiu US$ 150 mil na máquina de lavar a gás, de fabricação americana. A inovação e a preocupação com a saúde e o meio ambiente garantiram que o serviço nunca faltasse na lavanderia de Kistner.

Fonte: Pensamento Verde

Gostou? Compartilhe:
Páginas:123456»